Encontre no blog:

Carregando...

domingo, 11 de novembro de 2012

ExpoManagement: Design Thinking - Roger Martin

    
(foto: HSM)

O professor da Rotman School do Canadá, Roger Martin deu inicio aos trabalhos da ExpoManagement 2012 falando sobre "como equilibrar o pensamento Analítico e o Intuitivo para inovar", princípio básico do Design Thinking.

Segundo Roger Martin, o Design Thinking - concepção inteligente - é a próxima vantagem competitiva nos negócios, porque endereça um viés fundamental no exercício de previsão estratégica: que o pensamento Analítico e o Intuitivo não se misturam.

O Pensamento Analítico fundamentalmente olha o Passado, busca evidências e confiabilidade. Em última instância encontra regras e fórmulas. Mas essas "fórmulas" são ótimas apenas para descrever o passado, o histórico estatístico.

Já o Pensamento Intuitivo fundamentalmente olha o Futuro, busca hipóteses e sua validade. 

Quem tenta olhar para o Futuro com Pensamento Analítico, buscando confiabilidade de previsões comete um erro crasso: para olhar-se o Futuro precisamos sim formular hipóteses e testar sua validade. Se é válido ou não, mas nunca exigir da hipótese alguma confiabilidade. 

Segundo Martin, o Conhecimento tem um "Funil":

(imagem: edutopia)

Tudo que inicialmente começa como um Mistério, e você nem sabe COMO pensar sobre ele, quanto mais explicá-lo. Aí, depois de muito estudá-lo, pode filtrar algumas hipóteses inválidas, chega a um nível Heurístico: você sabe como funciona, mas não a ponto de descrever seu comportamento futuro. Só depois de estudá-lo mais, chega-se a algum Algoritmo mais confiável.

Segundo Roger Martin, o Design Thinking está justamente na pequena porção em comum entre o Pensamento Analítico e o Intuitivo, onde se tem alguma Confiabilidade e Validade:
(imagem: tdmdb)

O prof. Martin dá 5 dicas de como defender as hipóteses intuitivas de um Design Thinking falando com Pensadores Analíticos:
1. Considere a antipatia à hipótese como um desafio;
2. Demonstre empatia aos avessos à hipótese;
3. Fale a linguagem da confiabilidade;
4. Use analogias e histórias;
5. Limite a hipótese ao mínimo possível para poder gerar provas suficientes depois;

Ele também dá 5 Dicas de como, ao contrário, falar com Pensadores Intuitivos:
1. Considere a antipatia à confiabilidade como um desafio;
2. Demonstre empatia aos avessos à confiabilidade;
3. Fale a linguagem da validade;
4. Compartilhe dados e reflexões, nunca conclusões;
5. Amplie a análise ao máximo possível para dar oportunidade à inovação;

Faz pensar bastante, já que ao defender inovações o ponto focal deve ser a Validade e não as Evidências e a Confiabilidade. E as Empresas, no caminho da inovação vão precisar aprender cada vez mais usar o Pensamento Intuitivo e o Design ThinkingSuper interessante!

Não à toa, o livro Fixing the Game (não achei edição traduzida - Brasil até agora) do prof. Roger Martin, que trata justamente desse tema, está entre os livros premiados pelo CEO-read em 2011.

Acompanhe a cobertura das demais palestras da ExpoManagement 2012 aqui.
:)
< / >.
     

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por respeito aos demais leitores, o autor do blog se reserva o direito de filtrar comentários julgados inapropriados e spams. Agradecemos seu comentário, que será publicado depois de verificado. Muito obrigado. :)